segunda-feira, 4 de abril de 2016

Escolha sem medo e viva a vida intensamente!

Eu estava lá na sessão de psicanálise, acomodada confortavelmente no pré-divã, falando sobre a minha dificuldade de fazer escolhas e tomar decisões. Procurando entender de onde surgiu essa questão e o que eu posso fazer para mudar ou melhorar isso.

Descobri que a dificuldade é reforçada na medida em que eu evito escolher, tornando-se um círculo vicioso. Eu não escolho porque tenho dificuldade. Deixo a cargo do outro resolver. Como evito, não pratico e não aprendo como fazer. Percebe? É um círculo que não tem fim.




A ideia é vencer o medo de decidir e experimentar fazer as escolhas com tranquilidade. O ato de escolher é inerente ao cotidiano. Escolhe-se desde atividades rotineiras, como vestir ou comer, até situações mais complexas, como um emprego novo ou uma mudança de cidade. Ou seja, escolher faz parte da vida, é por meio das escolhas que vivemos.

Evitar escolher é, portanto, evitar viver. É o medo do desconhecido, talvez de cometer erros, que toma conta e paralisa. Ao se recusar escolher, a vida é vivida de maneira restrita.

Finalmente, eu me dei conta que estou deixando de fazer muitas coisas por conta desse medo. Percebo que não é bom ficar fugindo da vida assim, traz sofrimento e limita.

Daí, eu me pergunto: Se eu sofro, porque continuo agindo assim? Porque sigo com medo de escolher?

Ouvi uma frase assim ôh: "Mesmo que essa situação seja sofrida para você, você tem ganhos! Por isso, segue agindo assim!" Pah! Que resposta linda! Verdadeira e impactante para mim.

Num primeiro momento, achei que não fizesse sentido. Depois, pensando um pouco, eu percebi que é isso mesmo! E me acendeu uma luz no meio da cabeça!

Olha só o que acontece comigo! Talvez, já tenha acontecido com você também. Eu não escolho e deixo que o outro escolha por mim, mesmo que indiretamente. Por exemplo, vou viajar com outras pessoas e fico responsável por escolher o hotel, depois de fazer várias pesquisas, fico na dúvida, preocupada se o grupo vai gostar, procrastino e não escolho, daí, uma outra pessoa entra na história, escolhe e fecha o negócio.Veja, eu fiquei isenta. Se dê errado ou se as pessoas não gostarem do local, a responsabilidade não é minha! Entende?

Por outro lado, se o hotel não for bom, eu não fiz algo a respeito, quando poderia, e provavelmente, ficarei hospedada lá mesmo sendo desagradável. De todo modo é incômodo. Percebe?

Ao entender esse dilema, sinto que é importante fazer escolhas, por mais difíceis que elas sejam, e se responsabilizar por elas. Quando você escolhe, você exerce o seu poder de definir a sua vida, naquilo que lhe cabe. De fato, é um desafio, porque vivemos num mundo cheio de possibilidades e escolher significa abrir mão de outras alternativas. Traz uma sensação de está perdendo algo muito bom, e que talvez o que você tenha escolhido não seja o melhor. É um tempo de incertezas e inseguranças. Perfeitamente compreensível.

Tranquilize-se. Penso que eu, você e todas as pessoas têm dúvidas ao fazer uma escolha. Na verdade, não sabemos se aquela escolha que fizemos é realmente boa. Talvez tenhamos indícios que possam ajudar e, acredito que é válido lançar mão da intuição também, porém, certeza de verdade mesmo, nós só teremos ao vivenciar a escolha.

Sabe aquela viagem, mudança de casa ou emprego, passeio, jantar, bate papo, romance, curso, enfim, tudo aquilo que você gosta e quer fazer, digo que é precisa ser vivido. É a sua vida. As vivências trazem conhecimento, experiência e segurança, tornando a realização de escolhas algo mais simples. Alimentando uma círculo virtuoso. Portanto, faça suas escolhas sem medo e viva a sua vida intensamente!


4 comentários:

  1. Difícil tarefa!!!

    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Perfeita sua reflexão, Andreia! Acho que devemos SEMPRE seguir a nossa intuição! Quanto mais vamos conhecendo sobre nós mesmos mais ela aflora e assim nossas escolhas se tornam mais assertivas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu li sobre isso no livro Complexo de Cinderela, que é todo sobre isso.
    Se sempre nos sentarmos no banco do carona, iremos sempre para onde o outro quer e não para onde queremos. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhum... ótimo! O negócio é pegarmos a direção! :)

      Excluir

Alimente seus propósitos pessoais com pequenas mudanças em sua vida

Como falei um pouco no post  vamos-desenferrujar-e-colocar-vida.minimalista em movimento  venho sentindo que é momento de reavivar o minima...